Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

No comando: Insonia

Das 00:00 as 08:00

No comando: Bom Dia Eva

Das 08:00 as 11:00

No comando: Pop Love

Das 11:00 as 12:00

No comando: Top Top

Das 12:00 as 14:00

No comando: Bem Brasil

Das 14:00 as 17:00

No comando: Balada

Das 17:00 as 18:00

No comando: Europop

Das 18:00 as 19:00

No comando: Poperô

Das 19:00 as 20:00

No comando: Slowmotion

Das 20:00 as 21:00

No comando: Eva Pump

Das 21:00 as 22:00

No comando: Overnight

Das 22:00 as 24:00

Alexandre Frota é condenado a pagar R$ 50 mil por xingar Chico Buarque

Compartilhe:

O ator e candidato a deputado federal Alexandre Frota (PSL) foi condenado a pagar R$ 50 mil a Chico Buarque por ter chamado o músico de “filho da puta” em seu perfil numa rede social, em outubro de 2017.

Segundo o advogado de Chico, a condenação tem um “caráter pedagógico”. “Alexandre Frota busca fazer política destilando ódio e mentiras nas redes sociais. A sociedade brasileira não pode tolerar mais esse tipo de conduta e esse é o recado principal da sentença”, afirma João Tancredo, que o defendeu o músico no processo que tramita na 36ª Vara Cível do Rio de Janeiro. Alinhado à direita e apoiador da candidatura presidencial de Jair Bolsonaro, Frota ataca as posições à esquerda de Chico Buarque.

Na sentença, a que a Folha de S.Paulo teve acesso, o juiz Rossidelio Lopes da Fonte escreve que o candidato a deputado, “para agradar a alguns setores políticos que pensam de forma, semelhada imputou ao autor, que é artista nacionalmente conhecido, além de xingamento chulo o cometimento de crime expondo ainda a foto do artista sem sua autorização”.

A imputação de crime, no caso, se refere ao fato de Frota ter chamado Chico de ladrão. “As ofensas foram gravíssimas e as acusações completamente falsas”, diz Tancredo.

A postagem foi um tuíte que apresentava uma colagem de fotos de Chico, Caetano Veloso e Gilberto Gil, chamados de “merdas” e “filhos da puta”. Por decisão da Justiça, Frota apagou a postagem poucos dias depois de publicá-la.

“Independente de ter sido apagado, o tuíte repercutiu bastante e configurou sérios danos morais”, afirma o advogado. Ainda cabe recurso da decisão de primeira instância, incluindo para Chico, que pediu um ressarcimento maior do que o atendido -o pedido na ação foi R$ 100 mil, além da publicação da sentença em jornais e nas redes sociais, o que não foi aceito pelo juiz. Procurado por meio de sua esposa e de seu advogado, Alexandre Frota não comentou a decisão.

Deixe seu comentário: